Palivizumabe é um anticorpo monoclonal específico contra o vírus sincicial respiratório (VSR). Não é uma vacina, pois não estimula o sistema imunológico a produzir anticorpos – é um anticorpo pronto que neutraliza o VSR circulante e inibe sua proliferação. É a única forma disponível, hoje, para a prevenção de quadros graves de infecções respiratórias em lactentes, como as pneumonias e, principalmente, a bronquiolite.

Leia mais informações sobre o produto na ficha técnica, abaixo, e em Perguntas & Respostas.

Ficha técnica:

Anticorpo monoclonal anti-VSR

Indicação: prevenção contra o vírus sincicial respiratório (VSR), responsável por grande parte das infecções das vias respiratórias, principalmente em crianças com menos de 2 anos de idade. O VSR é a causa mais comum de bronquiolite (inflamação das pequenas vias aéreas do pulmão) e de pneumonia.

Quem pode usar o palivizumabe: recém-nascidos pré-termo com menos de 29 semanas de idade gestacional devem fazer uso durante o primeiro ano de vida; aqueles nascidos entre 29 e 32 semanas de gestação, até o sexto mês de vida; e portadores de doenças cardíacas e pulmonares nos dois primeiros anos de vida.

Contraindicações: não deve ser utilizado em crianças com histórico de reação alérgica grave (anafilaxia) anterior ao palivizumabe ou seus componentes e a outros anticorpos monoclonais.

Esquema de doses: doses mensais de 15 mg/kg de peso, durante cinco meses, no período de maior circulação do vírus (conforme cada região do país).

Eventos adversos: os eventos mais comuns são dor e sensibilidade no local da injeção. São reações raras: febre, erupção cutânea e urticária.

Via de aplicação: intramuscular.

 

Submit to FacebookSubmit to Google PlusSubmit to TwitterSubmit to LinkedIn