A palavra inglesa cocoon significa “casulo” e é usada para dar nome à estratégia mundial de conscientização e estímulo à proteção de bebês ainda sem defesa imunológica contra a coqueluche. Essa estratégia é importante porque a coqueluche é a quinta causa de morte no mundo em menores de cinco anos.

 Entre os principais transmissores da Bordetella pertussis, bactéria que causa a doença, estão: a mãe (32%), os irmãos (20%), o pai (15%), os avós (8%). Outras pessoas que têm contato frequente com bebês, como as babás, os profissionais da educação e da saúde, por exemplo, respondem por cerca de 25% das transmissões. É importante lembrar que, apesar de iniciarem a vacinação contra coqueluche aos 2 meses de idade, os bebês só ficam protegidos após a terceira dose da vacina, aos 6 meses de idade.

Portanto, a vacinação dos adultos que cuidam do bebê é de grande importância para prevenir a transmissão da coqueluche para os bebês, que só estarão completamente protegidos quando completarem as três doses da vacina Tríplice Bacteriana (que também protege contra difteria e tétano). Isso vai acontecer entre o sexto e o sétimo mês de vida da criança.

A coqueluche é também conhecida como “tosse comprida”. Quando ocorre durante a infância, os sintomas são bem definidos e incluem: tosse sucessiva, guinchos, falta de ar. Contudo, a partir da adolescência, os sintomas se confundem com os de outras doenças respiratórias, o que dificulta o diagnóstico em jovens e adultos.

Não fique na dúvida. Converse com o seu médico sobre a prevenção e a vacinação.


Todos os dias, a todo tempo e em todos os lugares encontramos e nos relacionamos com pessoas. No prédio onde moramos, onde trabalhamos, na escola, nas ruas, nos transportes públicos... A vida segue em ritmo intenso e as relações interpessoais fazem parte dela, felizmente.

Assim como a rede de prevenção estimulada pela estratégia cocoon protege o bebê da coqueluche, é possível criar uma rede de proteção contra outras doenças transmitidas por vírus e bactérias. Um dos caminhos mais eficientes para acessar esse “sistema virtuoso” é a vacinação.

O mundo se transformou em uma grande aldeia sem fronteiras: estamos conectados pelo espaço de uma viagem de avião. Os casos de sarampo na Europa, por exemplo, ameaçam o controle da doença no Brasil.

Doença tem dono, mas vírus não. Uma pessoa pode transmitir vírus para centenas de outras e sequer imaginar que isso esteja acontecendo. Vacinação é atitude. Vacinar-se é contribuir para um mundo melhor, mais saudável. Pense nisso e converse com o seu médico sobre como colocar em dia a sua carteira de vacinação.


Assista aos vídeos sobre prevenção da coqueluche gravados pela atriz Jennifer Lopez:

Inglês: https://www.youtube.com/watch?v=MAFrqCIauXU

Espanhol: www.youtube.com/watch?v=Vz6jxcUCG1g

Submit to FacebookSubmit to Google PlusSubmit to TwitterSubmit to LinkedIn