1 - O que é o CBMEVi?
O Centro Brasileiro de Medicina do Viajante é um porto seguro para quem vai viajar e para quem está chegando de viagem. Para isso oferece consultas médicas, vacinas e outras orientações que visam auxiliar na prevenção de doenças durante as viagens.
2 - O que é medicina do viajante?
É uma área da medicina que oferece aos viajantes as recomendações de preservação da saúde durante seus deslocamentos.
3 - Por que precisamos nos consultar antes de viajar?
Por vários motivos. Algumas doenças existem ou são mais comuns em certas partes do mundo, ou em certos períodos do ano. Malária, febre amarela e sarampo são alguns exemplos. Além disso, o viajante tende a mudar de hábitos durante a viagem, o que pode favorecer a transmissão de doenças como Hepatite A, febre tifoide e DSTs, por exemplo.
4 - Minha viagem não inclui lugares exóticos, mesmo assim devo me consultar?
A consulta é importante independentemente do destino. Muitas cidades grandes, de países desenvolvidos, apresentam doenças endêmicas ou até mesmo epidêmicas, mas que podem ser prevenidas. São exemplos os surtos de sarampo, nos Estados Unidos, em 2015, ou de caxumba, registrados em diversos países, inclusive no Brasil, durante o ano de 2016.
5 - Devo me consultar mesmo viajando dentro do Brasil?
Sim. Muitas pessoas sentem-se mais seguras quando viajam para destinos próximos de onde moram e acabam por aumentar a exposição a certos riscos quando, por exemplo, são menos cuidadosas no consumo de alimentos e bebidas ou no uso do repelente. Além disso, vivemos em um país de dimensões continentais, com grandes variação do clima e das condições sanitárias. A medicina do viajante considera estes e outros importantes fatores, a fim de estabelecer os riscos e a prevenção.
6 - Minha viagem de negócios é de apenas dois dias. Preciso me consultar?
Embora o risco de adoecer seja menor quando o tempo de deslocamento/ permanência é pequeno, existem situações em que o “prejuízo” decorrente do adoecimento, mesmo que por um dia, é muito grande. Imagine realizar uma viagem de negócios para Tókio e apresentar diarreia durante sua curta estada no longínquo país. Ou ainda, o que será de um jogador de futebol que passa apenas um dia no local de competição e é acometido pelo mesmo problema. O desempenho de ambos certamente será prejudicado. Outro aspecto a considerar é que o viajante corre o risco de contrair alguma doença que se manifestará apenas no retorno para casa, o que implicará em prejuízos para ele e para a empresa ou clube onde atua.
7 - Vou viajar para um local que já visitei antes. Preciso me consultar novamente?
Sim, porque as doenças não são “estáticas”. Uma cidade pode sofrer com o surto de determinada doença nunca registrado anteriormente. O CBMEVi monitora a ocorrência de doenças, por meio de uma rede de informações epidemiológicas e , assim, pode orientar o viajante.
8 - Estou viajando com mais pessoas. Todos precisam se consultar? Se estivermos indo para o mesmo local, são necessárias consultas individualizadas?
Sim, porque cada pessoa tem uma condição de saúde e um histórico de vacinação próprios, portanto, necessitará, de consulta e recomendações individualizadas. A idade é outro fator de diferenciação das recomendações.
9 - Estou chegando ao Rio de Janeiro, como viajante, e adoeci. Ou ainda: viajei sem me consultar e agora estou doente. O que devo fazer?
Embora a medicina do viajante tenha forte caráter preventivo, é muito importante procurar o CBMEVi caso você seja um viajante que adoeceu aqui ou que esteja retornando de uma viagem doente, uma vez que o médico saberá avaliar a quais doenças você se expôs. Sem falar no conforto de ser atendido no idioma nativo, no caso de viajante estrangeiro.
10 - Qual é a formação do médico que faz o atendimento aos viajantes?
O médico de medicina de viagem possui formação em doenças infecciosas, além de treinamento específico na área de medicina do viajante. São poucos os médicos e os locais preparados para atender viajantes e o CBMEVi é o único centro privado no Rio de Janeiro.
11 - A consulta “em cima da hora” da viagem é válida?
Sim. Contudo, as consultas nunca devem ser marcadas em data muito próxima da partida, pois podem ser necessárias algumas vacinações com intervalos grandes entre as doses. Além disso, são necessários pelo menos dez dias para que o organismo produza resposta imunológica às vacinas. Mas o importante é saber que a consulta com o médico de viagem sempre trará benefícios. Ele está preparado para analisar cada situação e propor esquemas diferenciados de vacinação, com o objetivo de oferecer ao viajante a maior segurança possível.
12 - A consulta serve apenas para me dizer que vacinas devo tomar?
Embora uma parte importante da consulta esteja relacionada com a vacinação, existem muitas doenças contra as quais ainda não dispomos de vacinas ou que, além da vacinação, requerem outros cuidados. São exemplos comuns: diarreia do viajante, dengue, malária, hepatite C, doença de chagas, entre outras.
13 - Por que algumas vacinas não estão disponíveis nos postos de saúde?
As vacinas oferecidas nos postos pelo Ministério da Saúde fazem parte do calendário básico de vacinação do Programa Nacional de Imunizações (PNI), que é elaborado com base nas prioridades da saúde pública. Mas existem outras vacinas que não estão disponíveis na rede pública e também são importantes para a proteção do viajante contra doenças que representam risco no local de destino.
14 - Se eu me consultar não vou adoecer?
Nunca é possível garantir 100% de proteção. A consulta oferece informações, recomendações e medidas que, quando seguidas, possibilitam reduzir ao mínimo o risco de adoecimento. Além das medidas de prevenção, os viajantes consultados no CBMEVi recebem informações valiosas de como proceder caso adoeçam. Outra valiosa característica do serviço oferecido é a possibilidade de contato com o médico que o consultou, durante a viagem, para saber o que fazer, a quem procurar ou a que lugar se dirigir no caso de adoecimento.
15 - A medicina do viajante só me protege de doenças que eu posso “pegar” na minha viagem?
Não. Viajantes que possuem doenças crônicas como insuficiência coronariana, diabetes, lúpus, alergias, doenças gastrointestinais entre outras, também são orientados sobre como proceder para evitar piora ou descompensação.
16 - Porque a medicina do viajante ainda é pouco divulgada?
Porque, ao contrário do que ocorre em países como os EUA ou da Europa, a medicina do viajante é uma especialização relativamente nova no Brasil, e são poucos os profissionais ou locais disponíveis para atendimento.
17 - É realmente perigoso viajar sem as orientações da medicina do viajante?
Sim. Além de doenças menos graves mas que “estragam” a viagem, como diarréia, febres e gripe, o viajante pode contrair doenças como: febre amarela, malária, meningites, encefalites, raiva, entre outras. Condições que, dependendo do nível atendimento e agravamento, podem levar ao óbito.
18 - Contra quais doenças o viajante pode ficar protegido?
De modo geral, a medicina do viajante divide a prevenção das doenças em grupos: aquelas transmitidas por água e alimentos, como diarréeia, febre tifoide e hepatite A; as transmitidas por vetores, como malária, leishmaniose e dengue; doenças de transmissão sexual, como HPV, HIV e Hepatite B e C; transmitidas por acidentes ou animais, como raiva e tétano; doenças transmitidas por via aérea, como gripe, meningite e tuberculose; e aquelas causadas pelo meio-ambiente, como insolação e doença da altitude.
19 - Quais são as doenças mais comuns nos viajantes?
As transmitidas por águas, alimentos e por via aérea.
20 - Existe risco de morte?
Sim. Tanto pelo perigo de contrair doenças perigosas, como malária, febre amarela, meningite, dengue e diarreias invasivas, quanto doenças mais “brandas”, mas que representam grande risco em pacientes com alguma doença crônica.
21 - Além do atendimento e consultas médicas, o que mais oferece o CBMEVi?
O CBMEVi é realmente a “casa” do viajante, onde ele vai encontrar, além das consultas médicas para sua proteção e saúde, produtos destinados a mantê-lo saudável, profissionais especializados em vacinação infantil e adulta, informações sobre viagens e atividades culturais relacionadas às viagens. É um local em que quem tem o espírito do viajante, sempre vai se sentir em casa.
22 - Que outras atividades o CBMEVi desenvolve?
O CBMEVi é um dos raros locais no Brasil onde, além da atividade de assistência, também são desenvolvidos trabalhos e estudos para o aprimoramento da medicina do viajante no Brasil.

Para efetuar o download dos guias é necessário estar cadastrado no site. Se este é o seu primeiro acesso, faça o seu cadastro - você receberá um e-mail de confirmação. Siga as instruções. Se você já é cadastrado, basta se logar.

Submit to FacebookSubmit to Google PlusSubmit to TwitterSubmit to LinkedIn